Um paciente morreu por conta de complicações de uma gripe H1N1, há cerca de oito dias, em um hospital particular de Maceió. Foi o primeiro caso de morte pela doença em Alagoas este ano, segundo a Secretaria de estado da Saúde. Há 17 pacientes com a doença no estado.

Mas, para o médico infectologista Celso Tavares, a morte não dá motivos para alarde entre a população. Todos os anos morrem entre 300 mil e 500 mil pessoas no mundo por causa de gripe, e reduzir esses números depende de prevenção. “As pessoas têm que ter noção dos cuidados para que o quadro não evolua para isso”.

Uma das medidas de prevenção é a campanha de vacinação, em vigor no Brasil até o dia 1º de junho. O público alvo da campanha são crianças na faixa etária de seis meses a menores de cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da Saúde, professores das escolas públicas e privadas e idosos.

Também fazem parte do grupo a ser vacinado, os servidores do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade que cumprem medidas socioeducativas, a população privada de liberdade, os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e os povos indígenas.

com TNH1

Deixe seu comentário

Os comentários postados sobre esta matéria são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, não representando em nenhuma instância a opinião do site Via Alagoas ou de seus colaboradores e parceiros.