ONG atua em 24 favelas e salva milhares de vidas todos os anos

com Gazetaweb

O Centro de Recuperação e Educação Nutricional (Cren), Organização Sem Fins Lucrativos (ONG) criada em 2001 para combater à desnutrição infantil na comunidade do conjunto Denisson Menezes, na parte alta de Maceió, comemora dez anos de atuação na sexta-feira (11).

Crianças são assistidas pelo Cren há mais de 10 anos em Maceió
FOTO: CORTESIA À GAZETAWEB

O Cren tem a missão de potencializar a transformação e resgatar a vida de crianças entre 0 e 6 anos de vida, enfrentando a subnutrição e a obesidade, nutrindo corpo, mente e relações para o desenvolvimento integral da pessoa e da família. A iniciativa foi criada pela nutricionista e professora universitária Telma Toledo, que coordena o projeto.

A nutricionista lembra que o Cren não é uma creche, e isso sempre é lembrado às mães. “Apesar das atividades educacionais e recreativas, apenas as crianças com um quadro sério de desnutrição são selecionadas para o semi-internato. Na sede da entidade elas recebem o devido atendimento até conseguirem se recuperar”, explica Telma Toledo.

Atualmente, o Centro atua em 24 favelas, assistindo crianças de maneira diferenciada. No semi-internato, por exemplo, ficam aquelas que apresentam um quadro grave de desnutrição. São 115 nessa condição. Uma parte delas está na região onde funcionava o lixão e outra parte na Portelinha, uma comunidade muito pobre perto do aeroporto.

Além da ajuda nutricional às crianças, o Cren é um espaço renomado de pesquisa e desenvolvimento de metodologias de atendimento, que conta com a participação de alunos, professores e pesquisadores de várias universidades do Brasil.

“Desde o começo de nossa história, a proposta educativa do Cren ultrapassa as fronteiras acadêmicas para chegar até a sociedade. Na comemoração de dez anos preparada para o dia 11 de agosto, os alagoanos poderão conhecer um pouco mais da atuação do Cren e como podem nos ajudar”, disse a presidente Telma Toledo.

“É muito gratificante ver a evolução de uma criança e de sua família, e saber que nosso trabalho tem sido essencial para que isso aconteça. Isso, graças ao Cren, pois, por meio desta instituição séria e, também, devido ao atendimento multiprofissional, conseguimos promover a melhora significativa na qualidade de vida das famílias assistidas”, afirmou Gabriela Rossiter, professora da Universidade Federal de Alagoas.

A equipe é multidisciplinar, formada por médicas, nutricionistas, psicólogas, enfermeiros, dentistas, assistentes sociais, cozinheiras, professoras, administradores, pedagogos, que, na maioria dos casos, atuam de forma voluntária e trabalham visando minimizar os efeitos de distúrbios nutricionais primários (subnutrição e obesidade). “Gosto muito e agradecerei para sempre a forma e o carinho que essa instituição me despertou para a vida”, afirmou, satisfeita J.G, 42 anos, mãe de uma das crianças assistidas.

“O voluntariado consiste, antes de tudo, em solidariedade e ajuda ao próximo. Independente do trabalho executado, o que importa é a vontade de ajudar e a disposição para ceder um pouco do tempo e conhecimento para fazer bem a outra pessoa”, completou Telma Toledo.

Crianças contam com alimentação, educação infantil em suas atividades
FOTO: CORTESIA À GAZETAWEB

Parcerias

Por meio do projeto Primeira Infância em Alagoas, a primeira-dama do Estado, Renata Calheiros, garantiu a parceira do Governo de Alagoas com o Cren. A Ong é responsável pela orientação nutricional no projeto Primeira Infância, diagnosticando as carências nutricionais de gestantes e em crianças de até seis anos.

A partir do diagnóstico, o Estado entra em cena para dar suporte e resolver cada caso. Atualmente, o projeto-piloto foi implantado no Cren do município de Murici e está sendo expandido para outros quatro municípios: São Luís do Quitunde, Batalha, Teotônio Vilela e Pilar.

Renata Calheiros afirmou que procurou pessoalmente alguns profissionais já envolvidos nesse trabalho para dar um suporte maior ao combate da desnutrição nas crianças. Ela observa que o projeto tem tido um ótimo resultado, porque não faz só o atendimento à criança e, sim, à família como um todo.

“O trabalho desenvolvido pelo CREN, dentro do Projeto da Primeira Infância de Alagoas, é essencial, pois a instituição realiza um trabalho integrado nas áreas de educação, saúde e assistência social  com crianças, suas famílias e na comunidade em que atua. É esta proposta de intersetorialidade que buscamos levar aos municípios”, disse a primeira-dama.

Além disso, ela afirma que “os profissionais são especialistas no tratamento e combate à desnutrição. Possuem estudos publicados e dialogam com Universidades, outras instituições, e possuem reconhecimento internacional. O CREN irá realizar o diagnóstico da situação nutricional de gestantes e crianças no município, e levar boas práticas na alimentação, com base na realidade local. Isso refletirá no crescimento de crianças mais saudáveis, e essa é uma das linhas de trabalho do Programa da Primeira Infância de Alagoas”.

Curta a página do ViaAlagoas no Facebook, @VIAalagoas no Twitter e no Instagram. WhatsApp: (82) 99113.7446.

Deixe seu comentário

Os comentários postados sobre esta matéria são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, não representando em nenhuma instância a opinião do site Via Alagoas ou de seus colaboradores e parceiros.