A primeira reunião foi realizada nessa sexta-feira (07) e haverá outros encontros para formulação de um TAC

com Assessoria IMA/AL

A regularização do complexo turístico existente na praia do Gunga foi um dos temas tratados pela equipe do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) e representantes da prefeitura do município de Roteiro, durante reunião realizada nessa sexta-feira (07). O local é considerado um dos principais atrativos turísticos do Estado e será beneficiado pela medida.

IMA/AL e prefeitura de Roteiro buscam regularizar complexo da praia do Gunga

Para tanto será desenhado um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que prevê adequação das diversas formas de utilização do local. O diretor-presidente do IMA/AL, Gustavo Lopes, disse que se trata de uma importante “iniciativa de ordenamento para se buscar a conformidade ambiental. Por um lado garantimos a preservação dos ecossistemas e por outro o trabalho de diversas famílias”.

O diretor-presidente do IMA/AL disse ainda que serão realizadas outras reuniões para definição das responsabilidades das partes e cronograma de trabalho.

Segundo o secretário de turismo de Coruripe, pretende-se “deixar o cartão postal dentro do que a legislação ambiental exige”. A preocupação, conforme a argumentação do prefeito daquele município, Wladimir Brito, é “buscar a regularização para que o destino possa ser melhor apresentado para o restante do Brasil”.

O administrador do complexo, Edinaldo Pulcino, disse que no local existem 14 bares e restaurantes, 18 barracas de comidas típicas e um pavilhão de artesanato que conta com 32 lojas. Ele afirma que há um fluxo de cinco mil pessoas por mês, durante a alta temporada, e duas mil em ouros períodos, o que garantiria a sobrevivência de 600 pessoas, de modo direto, e três mil indiretos.

Curta a página do ViaAlagoas no Facebook, @VIAalagoas no Twitter e no Instagram. WhatsApp: (82) 99113.7446.

Deixe seu comentário

Os comentários postados sobre esta matéria são de inteira responsabilidade de seus idealizadores, não representando em nenhuma instância a opinião do site Via Alagoas ou de seus colaboradores e parceiros.