Perda de leitos do SUS em Maceió foi a 2ª maior do Nordeste; no interior, Alagoas teve uma das menores reduções no Nordeste e no Sudeste — Foto: Agência Brasil

Um levantamento da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), divulgado nesta terça-feira (23), apontou Maceió como a segunda capital do Nordeste com a maior diminuição de leitos hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS) em dez anos. A capital perdeu 467 leitos do SUS de 2008 a 2018.

Em 2008, existiam 2.643 leitos da rede pública na capital alagoana. Em 2018, esse número caiu para 2.176, uma redução de 17,67%. Maceió só perdeu para Aracaju, que teve redução de 23,73%.

A reportagem entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde para saber se há alguma ação em andamento ou prevista para reverter esse quadro, mas não teve resposta.

PUBLICIDADE

Quando observada a situação dos leitos do SUS apenas nos municípios do interior, Alagoas aparece em destaque como um dos estados que menos reduziram leitos nas regiões Nordeste e Sudeste. Foi uma perda de 111 leitos (-3,94%), atrás apenas do Ceará (-1,11%).

Alagoas tem um índice de 1,90 leitos por cada mil habitantes, abaixo do recomendado pelo Ministério da Saúde. Mas, de acordo com a CNM, nenhuma região do Brasil atingiu o índice de leitos recomendado pelo Ministério da Saúde, que é de 2,5 a 3 leitos para cada mil habitantes. A média do Brasil em 2018 foi de 2,1 leitos por mil habitantes.

O número de leitos em Alagoas cresceu 4% em dez anos (passando de 6.146 para 6.424 leitos), mas a população cresceu 8% no mesmo período (chegando a pouco mais de 3 milhões), dessa forma, o índice de leitos por mil habitantes diminuiu. No total, Alagoas criou 278 novos leitos de 2008 a 2018.

A Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau) reconhece o déficit de leitos na rede pública, mas destacou que vem trabalhando para aumentar a oferta. Além disso, o estado diz que a construção de novos hospitais vai aumentar ainda mais o número de leitos.

Veja abaixo a íntegra da nota da Sesau

Os leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) são divididos em federais, estaduais e municipais. Segundo o Cadastrado dos Estabelecimentos de Saúde (CNES), Alagoas possui 6.424 leitos. Deste total, 4.701 são vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS), divididos entre as gestões federal, estadual, municipais e contratualizados. Quanto aos do Estado, são 761 leitos próprios e mais 301 contratualizados, totalizando 1.062. Como ainda há um déficit, uma vez que somente na capital há mais de 40 anos não se construía um novo hospital, no ano passado foram abertos 26 novos leitos na Maternidade Escola Santa Mônica (MESM), em março deste ano foram contratualizados mais 127 em hospitais filantrópicos, aumentando para 301 o número de leitos de retaguarda para o HGE, em julho último os leitos do Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca, foram triplicados, passando de 40 para 120 e, nos próximos meses serão abertos mais 676, com a inauguração dos Hospitais da Mulher e Metropolitano (Maceió), Regional do Norte (Porto Calvo), Regional da Mata (União dos Palmares) e Regional do Sertão (Delmiro Gouveia). Além da ampliação do número de leitos, a Sesau também irá expandir o atendimento pré-hospitalar, por meio da construção de mais duas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) em Maceió, nos bairros Tabuleiro do Martins e Cruz das Almas.

Descrição dos Leitos

1 – Hospital da Mulher (Maceió) – 127 leitos

2 – Hospital Metropolitano (Maceió) – 180 leitos

3 – Hospital Regional do Norte (Porto Calvo) – 123 leitos

4 – Hospital Regional da Zona da Mata (União dos Palmares) – 123 leitos

5 – Hospital Regional do Alto Sertão (Delmiro Gouveia) – 123 leitos

com G1 AL