Não existe rival mais implacável que o tempo. Mesmo para uma lenda como Anderson Silva, que mostrou talento para superar adversários e estilos ao longo de 13 anos no UFC, o tempo se mostra invencível. Tendo diante de si um adversário 14 anos mais novo, o Spider fez uma boa luta, equilibrando a disputa em muitos momentos, mas acabou sucumbindo à evolução de si próprio. Fã confesso do brasileiro, Israel Adesanya disse antes da luta que a maior demonstração de respeito que poderia ter pelo seu ídolo seria lutar da melhor forma possível contra ele. Se não conseguiu nocautear o brasileiro, o nigeriano teve uma atuação segura e, mesmo correndo alguns riscos, aumentou sua sequência de triunfos para 16 em 16 lutas ao vencer a disputa por decisão unânime dos juízes (29-28, 30-27 e 30-27) na luta principal do UFC 234, realizado na mítica Rod Laver Arena em Melbourne, na Austrália.

Brasileiro participou da luta principal do UFC 234, na Austrália FOTO: QUINN ROONEY / GETTY IMAGES

“É como se, se eu jogasse basquete, se eu jogasse contra Michael Jordan. Anderson, obrigado, meu amigo, você vem fazendo isso há muito tempo. Kelvin, abaixa esse cinturão”, disse Adesanya após a luta.

Na sequência, Anderson Silva revelou o desejo de lutar em sua cidade em maio e destacou o amor pela luta.

“Estou muito feliz. Quero agradecer a Deus por me dar a chance de estar aqui mais uma vez. Amo o meu trabalho. Lutar é muito duro, e eu tive diante de mim um grande lutador. Vou continuar lutando, porque essa é a minha paixão e a minha vida. Obrigado a todos que vieram aqui. Eu quero lutar em Curitiba, que é a minha cidade. Agora voltarei para a minha família, e depois talvez lutar em Curitiba”, disse o brasileiro antes de tentar imitar o grito de guerra dos australiano “Aussie, Aussie, Aussie, Oi, Oi, Oi!” sem muito sucesso.

A luta

A luta começou com os dois lutadores se estudando no centro do octógono, e Adesanya tomou a iniciativa do ataque com dois chutes baixos. O nigeriano andava para frente e tentava ajustar a distância, enquanto Anderson esperava para buscar os contragolpes. O brasileiro media os jabs também para encontrar a distância, e Adesanya mantinha a guarda baixa. Anderson se aproveitou para acertar um golpe rápido que fez o rival andar para trás, mas recebeu um contragolpe que o fez dobrar as pernas. Anderson recuperou-se rápido, e igualou a luta na metade d round. A pouco mais de 1m30s do intervalo, Anderson baixou a guarda esperando que Adesanya o atacasse. O nigeriano lançou o golpe, que ficou na guarda. Anderson passou a se sentir à vontade na luta, e aplicou golpes de efeito em Adesanya, que tentou revidar com um chute alto, forçando o brasileiro a fazer uma esquiva sensacional, levantando o público. Os dois foram para o centro do octógono nos segundos finais, e Adesanya fez uma pose lembrando Bruce Lee chamando Anderson para a luta. O Spider apenas esperou o round acabar.

No segundo round, após algumas trocas de golpes, Anderson atraiu Adesanya para a grade baixando a guarda, mas o nigeriano não caiu na estratégia do brasileiro. Na volta para o centro, Adesanya acertou três golpes seguidos em Anderson, que baixou a guarda e se deixou ser atingido, olhando fixamente para o rival. A luta ficou igual, e o brasileiro conectou bons golpes que fizeram Adesanya recuar e buscar o clinche. Anderson minava as pernas do nigeriano com chutes, e evitava se desgastar perseguindo-o. A luta era disputada na curta distância, deixando os fãs eletrizados. No fim do round, Anderson fez uma “blitz”, acuando o nigeriano na grade e buscando aplicar golpes na cabeça, mas Adesanya se defendeu.

No terceiro e último round, ao som dos gritos de “Silva” por parte dos fãs, Anderson começou a provocar Adesanya, pedindo que ele batesse no seu abdômen. O nigeriano aceitou e desferiu alguns golpes. O brasileiro parou de costas para a grade e chamou insistentemente Adesanya para o seu encontro. O nigeriano hesitou, e Anderson, já com o olho direito muito inchado, desistiu e foi ao seu encontro. O brasileiro mostrava estar muito à vontade na luta, e mantinha a disputa igual. Os dois lutadores desferiam golpes seguidos, e Anderson mais uma vez baixou a guarda e aceitou sem esquivar três socos de Adesanya na cabeça. Os dois continuaram próximos e trocando golpes até o fim da luta, quando se abraçaram e trocaram algumas palavras.

Confira os resultados do UFC 234:

CARD PRINCIPAL:

Israel Adesanya venceu Anderson Silva por decisão unânime (30-27, 30-27 e 29-28)

Lando Vannata venceu Marcos Dhalsim por finalização aos 4m55s do R1

Ricky Simón venceu Rani Yahya por decisão unânime (30-27, 30-27 e 30-25) 

Montana de la Rosa venceu Nadia Kassem por finalização aos 2m17s do R2

Jim Crute venceu Sam Alvey por nocaute técnico aos 2m49s do R1

CARD PRELIMINAR:

Devonte Smith venceu Ma Dong Hyun por nocaute aos 3m53s do R1

Shane Young vence Austin Arnett por decisão unânime (triplo 30-27)

Kai Kara-France venceu Raulian Paiva por decisão dividida (28-29, 29-28 e 29-28)

Kyung Ho Kang venceu Teruto Ishihara por finalização aos 3m59s do R1 

Jalin Turner venceu Callan Potter por nocaute aos 53s do R1

Jonathan Martinez venceu Wuliji Buren por decisão unânime (30-27, 30-27, 29-28)