Levantamento do movimento Todos Pela Educação mostra que 30.677 estudantes concluíram os estudos este ano em Alagoas

Instituição diz que o grande desafio é levar os estudantes de volta para a sala de aula (FOTO: ARQUIVO/VIA ALAGOAS)

Levantamento divulgado nesta terça-feira (18), pelo movimento Todos Pela Educação revela que 48,3% dos jovens alagoanos de até 19 anos não concluíram o ensino médio em 2018. Feito com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio de 2012 a 2018 (Pnad-C) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estudo revela que este ano, 30.677 estudantes concluíram o ensino médio no Estado. No ano passado, esse número era de 25.345 estudantes, o que representava 44% do total de alunos matriculados.

Segundo o levantamento, Pernambuco é o estado nordestino com o maior índice de jovens com até 19 anos que concluíram o ensino médio, com 67,6%. Em seguida aparece o Ceará, com 63,6%, Piauí (54,7%) e Maranhão (52%). A Bahia é o último da região, com 43,3%. A média nordestina é de 53,6%.

O estudo revela ainda que entre 2012 e 2018, o número de jovens alagoanos de até 19 anos que concluíram o ensino médio saltou de 19.303 (o que representava 34,9% do total) para 30.377 – uma diferença de 16,8 pontos percentuais. 

Apesar do aumento de estudantes que concluíram o ensino médio no Estado, o movimento Todos Pela Educação ressalta que o grande desafio não é só garantir a permanência dos jovens no ensino médio, mas levar para a escola os que abandonaram as salas de aula. 

“Os indicadores mostram que temos graves problemas no ensino médio e não estamos conseguindo revertê-los. Porém, o desafio maior refere-se à educação básica. Precisamos reverter a trajetória de insucesso na educação básica”, afirmou o diretor de Políticas Educacionais do Todos pela Educação, Olavo Nogueira Filho.

Em Alagoas, segundo o estudo, 43.570 jovens de 16 anos concluíram o ensino fundamental este ano, o que representa 64,3% do total de alunos. Em 2012, esse número era de 33.213 estudantes (ou 47,7% do total) – um avanço de 16,6 pontos percentuais. 

Para a presidente-executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz, embora o país tenha o mérito de ter avançado na oferta do acesso à escola, temos falhado em garantir qualidade do ensino para todos e com isso vamos perdendo nossas crianças e jovens pelo caminho, configurando um grave cenário de exclusão escolar.

com GAZETAWEB