A penitenciária foi palco de um massacre, em janeiro de 2017, que deixou 26 mortos

© DR

Governo do Rio Grande do Norte confirmou a morte de quatro detentos dentro do Presídio Estadual Rogério Coutinho Madruga, o pavilhão 5 do Alcaçuz, localizado na Grande Natal. As vítimas apresentavam sinais de enforcamento. Agentes penitenciários contaram que eles haviam deixado o PCC para se filiar ao rival, Sindicato do Crime. A penitenciária foi palco de um massacre, em janeiro de 2017, que deixou 26 mortos.

De acordo com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania , essa pode ter sido a motivação dos homicídios. Os homens foram identificados como Iuri Yorran Dantas Azevedo, de 24 anos, Rodrigo Alexandre Farias Araujo, de 26, Thiago Nunes Oliveira Silva, 24 e Ytalo Nunes de Sousa, 25.4.

PUBLICIDADE

“As facções criminosas não se comunicam mais com o exterior da cadeia, o que tem provocado brigas internas”, acrescentou a secretaria, em nota, enviado ao G1. A Polícia Civil investiga o caso e aguarda o laudo que determinará as causas das mortes.

com NOTÍCIAS AO MINUTO