Trabalhadores do Movimento Sem Terra (MST) e do Movimento Via do Trabalho, fecharam, nesta segunda-feira (04), a BR-101, no sentido Maceió, entre os municípios de Teotônio Vilela e São Miguel dos Campos; a BR 104, entre os município de União dos Palmares e Branquinha; e a AL 104 Sul, no município de Coruripe.

Os manifestantes receberam ordem de despejo dos acampamentos onde vivem há mais de 4 anos. Grande parte das famílias já foi despejada de terras da usina Uruba e hoje vivem no Complexo Lajinha, que abrange também as terras da Usina Guaxuma, em Coruripe e Teotônio Vilela.

O representante do movimento Via do Trabalho, situado nas terras da Usina Guaxuma, em Teotônio Vilela, José Ivanildo Silva Santos,  relatou ao 7Segundos que as famílias reivindicam a anulação da decisão de reitegração de posse das terras onde vivem, além de uma audiência com o Governador do Estado, Renan Filho (MDB). O representante informou  que apenas ambulâncias estão sendo liberadas para prosseguir viagem.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) emitiu nota relatando ter sido acionada para um bloqueio na BR 101, em que manifestantes fecharam a via no km 164, em trecho que corta a cidade de Campo Alegre.

Leia nota na íntegra:

Na manhã desta segunda-feira (04) uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi acionada após denúncias de bloqueio na pista por manifestação. A ação ocorreu no km 164 da BR – 101, município de Campo Alegre/AL.

De acordo com informações coletadas pelos agentes, aproximadamente 150 manifestantes dos movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e Via do Trabalho (MVT) interditaram a rodovia solicitando devolução das terras que foram reintegradas.

Com cerca de 1km de congestionamento, a PRF sugere que os condutores que precisem trafegar no trecho interditado façam desvio por Arapiraca. Ainda não há previsão para liberação da pista.

com 7SEGUNDOS